segunda-feira, 4 de maio de 2009

2009 Ano Europeu da Criatividade e Inovação

Embora as atenções estejam bastantes descentradas do tema inicial, a iniciativa da Comissão Europeia em considerar 2009, como o ano Europeu da Criatividade e Inovação foi boa e teve visão, pois quanto mais não seja, a criatividade é bastante necessária, neste momento, para dar a volta à crise.

À parte este tema esgotado e olhando ao nosso ano de 2009 como um ano a celebrar, espero que ainda surjam, no contexto nacional, até ao final do ano, algumas das iniciativas previstas para estimular a criatividade e a inovação.

Na decisão do Parlamento Europeu e do Conselho, pode ler-se entre outros o seguinte:

“A criatividade representa uma parte importante do currículo nos primeiros anos escolares, mas essa parte diminui drasticamente ao longo da escolaridade dos alunos. Consequentemente, um desafio essencial com que se deparam actualmente os sistemas de ensino consiste em saber de que forma se pode manter viva a criatividade nas crianças e nos jovens. As respostas incluem, nomeadamente, a valorização das disciplinas criativas, o desenvolvimento de novas abordagens em matéria de aprendizagem e a promoção de várias actividades extracurriculares.”

"O objectivo geral do Ano Europeu é promover a criatividade junto de todos os cidadãos enquanto motor de inovação e factor essencial do desenvolvimento de competências pessoais, profissionais, empresariais e sociais, baseando-se para isso na aprendizagem ao longo da vida."

“…as medidas incluirão campanhas de informação e promoção, eventos e iniciativas aos níveis europeu, nacional, regional e local, com o objectivo de transmitir as mensagens mais importantes e divulgar informação sobre exemplos de boas práticas. O Ano Europeu será executado com base nos programas comunitários existentes, em particular no Programa «Aprendizagem ao Longo da Vida» de 2007-2013 e no Programa «Cultura» de 2007-2013, e noutros programas e iniciativas, dentro dos limites das prioridades fixadas para cada instrumento, para o período que abrange 2009. Essas prioridades incluem objectivos de natureza sectorial, nomeadamente os seguintes: despertar e reforçar a criatividade e a inovação ou desenvolver abordagens pedagógicas inovadoras que envolvam as artes criativas e as ciências nas escolas; promover a «tríade do conhecimento» através da criação de regiões de aprendizagem centradas em universidades que estimulem o desenvolvimento regional; apoiar o desenvolvimento e a transferência de inovação graças à formação profissional; promover a realização pessoal dos adultos sensibilizando-os para as questões culturais e desenvolvendo a sua capacidade de expressão criativa e de inovação através da educação de adultos; e, em todas as fases da aprendizagem ao longo da vida, organizar actividades de comunicação e eventos capazes de divulgar e aplicar os resultados alcançados.”

O documento de aprovação da decisão foi publicado no Jornal Oficial da União Europeia.

Esperemos que com tanta crise, gripes várias, eleições e outras maleitas nacionais, não se desviem as atenções daquilo que é essencial e que haja ainda espaço para um debate público e para as necessárias intervenções ao nível da inovação, da criatividade, da cultura e da formação, questões de facto essenciais, para que tudo o resto passem a ser problemas menores.

Sem comentários: